quinta-feira, 26 de abril de 2012

Fichamento: Georges Gusdorf: “Mito e Metafisica”.

Só o fato de existir é algo penoso ao homem e o mito serve como um meio de integrá-lo a natureza que até o momento não lhe pertencia.
I. A consciência mítica como estrutura do ser no mundo
(P.23) O tempo dos mitos, pré-história da filosofia, é o tempo em que o mito reina sem rival. Para o homem do tempo dos mitos, o mito não é apenas um mito, mas a própria verdade. Sua única explicação de mundo...
O mito para o homem moderno é irreal, fantástico, ilógico. Sendo que para o “primitivo” é a verdade absoluta, ele vive o mito.
O mito está ligado ao primeiro conhecimento que o homem adquire de si mesmo e do que o rodeia. Para o primitivo, não há duas visões de mundo, uma “real” e uma “mítica”, mas uma leitura da paisagem.
Desde sempre a consciência humana tenta buscar uma ordem no universo, um significado. O mito serve como estrutura do universo impondo ordem ao cosmos. O mito é a estrutura do conhecimento dos povos antigos, ou seja, a forma como o conhecimento se organiza, se forma, se transmite, etc.

(P.24) O mundo, até então privado de sentido adquire um sentido. A vida primitiva, em sua simplicidade, aparece ao homem civilizado como a amizade do homem com a natureza, onde as técnicas ainda não o transformaram em um novo universo complexo e absurdo.
Só o fato de existir é algo penoso ao homem e o mito serve como um meio de integrá-lo a natureza que até o momento não lhe pertencia.
(P.25) Durante as páginas 25, 26 e 27, Gusdorf analisa as diferentes formas que os teóricos pensam o mito.
(P.28) A própria palavra mythos, que vem do grego e quer dizer palavra, já mostra como o intelectualismo grego já havia reduzido à mentalidade primitiva. Recolocado em seu contexto vivido, o mito se afirma como a doutrina do ser no mundo. Nem a teoria, nem a doutrina, mas inserção do homem no mundo.
Mito X Ciência.
O mito confere sentido à vida (existência) e ao mundo. Ela é uma estrutura do conhecimento primitivo, porém é assistemático. O mito é concreto, conhecimento “engajado”. A ciência é sistemática, abstrata, baseada em teorias, hipóteses, métodos que devem ser provadas. Conhecimento imparcial. Conhecimento racional. A ciência é conhecimento puro. O mito é concreto e a ciência é abstrata.
O mito não é uma ciência em estado imaturo! O grande erro é considera-la um sistema, como um conjunto ordenado, construído seguindo um plano pré-concebido. Na verdade ele é um agregado de mitos que muitas vezes se contrapõe.
Bibliografia:
GUSDORF; Georges: Mito e Metafísica. Introdução a filosofia. Ed Centaruro SP. 1980. Pág 23-28.

Nenhum comentário:

Postar um comentário